Club de
Marília
4 de Abril

Diretor do Protocolo é tema de encontro em Maracaí

Postado em: 20 de Setembro de 2017

Visando esclarecer com detalhes a função do Diretor do Protocolo num Rotary Club, o jornalista Márcio Cavalca Medeiros, associado do Rotary Club de Marília-Pioneiro, no Distrito 4510 do Rotary International, esteve na cidade de Maracaí, nas dependências da Câmara Municipal, quando clubes rotários local e das cidades de Assis, Palmital, Cândido Mota, Tarumã e Paraguaçu Paulista, estiveram presentes para a exposição do assunto considerado controverso dentro do Conselho Diretor dos clubes. “Um cargo que é vítima de culturas diferentes de diversos países”, disse o rotariano que tem visitado clubes e distritos rotários brasileiros expondo diversos temas rotários. “Uma função importante do ponto de vista organizacional nas reuniões semanais”, acrescentou o jornalista, que estará nas cidades de Marília, Presidente Prudente, Piratininga e Tupi Paulista apresentando o tema.

Utilizando a metodologia apresentada pelo Instituto de Liderança Rotária (IRL), o encontro contou com a participação ativa dos participantes que fizeram inúmeras perguntas pertinentes ao comportamento e as regras protocolares. “É importante rever conceitos e comportamentos, afinal, a função do Diretor do Protocolo é mais organizacional do que expositiva”, falou Márcio Cavalca Medeiros ao lembrar do fato de que o Rotary International não editou nenhum manual específico sobre o cargo. “O que existem são publicações de rotarianos sugerindo determinados comportamentos, que não estão normatizados pela organização mundial”, falou ao indicar algumas orientações dentro do Manual do Presidente do clube.

De acordo com Márcio Cavalca Medeiros a função do Diretor do Protocolo é de fundamental importância para o trabalho da Imagem Pública. “Ele é o pivô de todo o processo”, disse o rotariano que ocupa o cargo de Coordenador da Imagem Pública do Rotary, para as zonas 22A e 23A do Brasil. “Ele é necessário para que as reuniões sejam atrativas, interessantes, animadas, divertidas, objetivas e principalmente sem problemas estruturais com local, som, imagem e demais recursos eletrônicos”, enumerou o rotariano ao lembrar que o Diretor do Protocolo não conduz a reunião. “Essa função é do Presidente ou do Governador”, comentou o dirigente rotário que percebe surpresas por parte dos rotarianos que desconhecem por completo a função específica do cargo, cujo o perfil é controverso. “Normalmente se coloca uma pessoa que fala de mais, e isso, normalmente prejudica a performance da reunião”, avisou.

Dentro do contexto rotário brasileiro, Márcio Cavalca Medeiros lembra que se deve utilizar detalhes sobre as leis federais que regem comportamentos sobre a utilização dos hinos, das bandeiras, das procedências de autoridades, e em outros, detalhes culturais e hábitos de cada região do Brasil. “O importante é fazer o que é certo, em ordem, respeitoso e mostrar para o público em geral ordem e respeito, sem se esquecer das normas e regras rotárias”, comentou ao considerar difícil a adaptação repentina. “Isso requer tempo, desprendimento e muita compreensão dos mais antigos, afinal, existe toda uma tradição local que cerca esse comportamento protocolar nas reuniões”, comentou o dirigente que já observa mudanças em alguns clubes e distritos rotários brasileiros. “O Manual do Presidente do Clube ajuda muito, afinal, ali constam: roteiro, calendário, cronograma, sugestões e, ainda, certos assuntos que são fundamentais para conduzir a reunião”, sugeriu. “Inclusive a função do Diretor do Protocolo”, acrescentou.

#
Eficaz Comunicação Empresarial Ltda – ME
E-mails: redacao@eficaz.jor.br ou atendimento@eficaz.jor.br

Reuniões Quintas-Feiras | 20:15
Alves Hotel - R. 24 dezembro,1236